For professional inquires or general questions or comments, please contact: mylilobridge@gmail.com

 

Contact Me

The Minimal House: the place where relax is an order

February 10, 2020

I visited the Minimal House last December and I absolutely loved it! Francisco Cipriano is the host of this wonderful place. He was born in this small town of Bombarral, in the West Coast of Portugal. His professional life is linked to the management of European Union Funds in Portugal and international cooperations projects on behalf of Portuguese public administration. He’s currently Senior Adviser at Calouste Goulbenkian Foundation. He has done a lot of works in the fashion and advertising world, as well as writing, photography and travelling. He practices surf and he’s the co-author of the first national surf guide “Portugal Surf Guide”. To learn a bit more about his projects you can check portugalsurfguide.pt or movementcreativelives.com.

Em dezembro passado tive a oportunidade de visitar a The Minimal House e adorei! Francisco Cipriano é o anfitrião deste lugar maravilhoso. Nasceu nesta pequena cidade do Bombarral, na costa oeste de Portugal. A sua vida profissional está ligada à gestão de fundos da União Europeia em Portugal e a projetos de cooperação internacional em nome da administração pública portuguesa. Atualmente, é consultor sénior da Fundação Calouste Goulbenkian. Fez também muitos trabalhos no mundo da moda e da publicidade, além de escrever, fotografar e viajar. É praticante de surf e é co-autor do primeiro guia nacional de surf "Portugal Surf Guide". Para saber um pouco mais sobre os seus projetos, espreitem os sites portugalsurfguide.pt ou movementcreativelives.com.

 

1. How long ago did The Minimal House open?
We opened the top floor two years ago, and then in early summer 2019 we opened this floor below. When we opened the first apartment it was a bit of a experiment - I wasn't sure if Bombarral would be a place where people could come for weekends. Then I gained confidence and ended up opening the second apartment.
The lower one has three bedrooms (two doubles and one single). The top one has four bedrooms, all double, two of which have a double bed and the other two have single beds. Altogether, there are 8 people upstairs and 6 downstairs.

 

2. Prices?
We charge per person. The price of the house for one person is 68 € and we go up depending on the number of people, but it is a very low value: about 5 € more per person. The top floor is € 108 and down here is € 88, when it's full. Then we charge a cleaning fee of € 21 per home, regardless of the number of days of stay.

 

3. How did this idea come about?
This was my parents' house. It was where I lived all my life. However, I realized this thing about the local accommodation very early. Not at Bombarral. I realized in Lisbon and Peniche, I realized that it was a dynamic that was being created. I even wanted to do that in Lisbon, but I never had that energy. And this house was closed... 10 years ago, after my father died. There was a day that I came here and I thought “so what am I looking for in Lisbon? I have what I need here ”. And so it started. The house was full of old things, of a lifetime, so the first process was to forward all of those things. I wanted to develop a very minimal concept, so I really had to make space. After that, the works started. And it's funny that even before the house was ready, I took some black and white photographs and put it on Booking saying 'It's going to open' and immediately I started receiving reservations.
It was on a very hot day, in August 2018, that our first guests arrived. It's something I really like: welcoming people, talking to them...

 

4. And the name of the house has to do with that?
Yes. My idea was to make people who came here feel like they were at home. When I started I really wanted something minimalist: no beds, a Japanese-style space. But, I quickly realized that I would have to do something more balanced. Now that we have the website, we can also explain the concept better on it.


5. The decoration also ends up conveying this concept, right?
Yes, I tried to mix modern pieces with older ones. In one of the apartments I kept my father's secretary, the chairs that serve as bedside tables were my mother's wedding chairs, and they change colors, some black, some green, others white. There is also one of the rooms that has the old telephone of the house. Then, I wanted to give a different touch through more iconic pieces like the Acapulco chairs or the Charles Eames chair from the 70s. There is a lot of wood, a lot of white, everything to create a clean environment.

 

6. There is also the objective of creating a series of activities in this house…
Yes. Through the website we have already tried to convey this idea: to show that in this house you can follow a branch of experiences, of everything that people can do here around this region, very marked by the wines, Bhuda Eden, surfing , Óbidos… Another dynamic that I would love to create is related to animation activities here at the house. For instance, I have a friend who specializes in Tibetan bowls and manages to motivate us to think in a weekend and in the midst of those sounds all transport us to a completely different universe. I also have several photographer and meditation friends, so I wanted to call these people who are part of my universe, to do things inside the house and, in the end, animate the house with these experiences.

 

7. And what has been the feedback so far?
It has been a very funny experience. We have received people from everywhere. Some who go to Fatima on foot, others who have been traveling in Europe for 3 months, such as the example of a Canadian couple who were walking around Europe aimlessly. Then, we have had a very funny story here, which has to do with television, or rather with its absence. The apartments do not have a television, and this is somewhat purposeful. There is a fantastic Wi-Fi network, which is good for leisure and work, but we don't have a TV. And in the meantime, we have a guest book there at the entrance that has become a real 'chat' around the television theme. Some say that television was not needed at all, that they were with the family and played cards, others say that television was sorely missed because they have the habit of watching the news and felt completely in a world apart.

 

8. Can we say that this Minimal House is a life project?
Yes. For me this project worked almost like a return to the origins, a reconciliation with the past. Because I had already made this reconciliation with Peniche, but I hadn't done it with this space yet. I saw this house as a place with a huge emotional charge for me, it always brought memories of my father and my childhood with him and it was just that. And then, when I left Bombarral, I went to Lisbon to study and left here a bit bitter. Being 18 and living in Bombarral in the 90s was a bit of a bore. I thought: "I'm going to get rid of Bombarral". I went to study, I went to travel, I went to live my life, I was lucky to have a job that allowed me to open horizons ... until I reached a point where it made sense to have this reconciliation with the past. Suddenly, I came back here, I started meeting and talking on the street with people I hadn't seen for many years.

1.    Há quanto tempo abriu a The Minimal House?
Nós abrimos há dois anos o andar de cima, e depois no início do verão de 2019 abrimos este andar de baixo. Quando inaugurámos o primeiro apartamento foi um pouco para experimentar – eu não tinha bem a noção se o Bombarral seria um sítio onde as pessoas pudessem vir passar fins de semana. Depois, ganhei confiança e acabei por abrir o segundo apartamento. 
O apartamento de baixo tem três quartos (dois duplos e um single). O de cima tem quatro quartos, todos duplos, sendo que dois deles têm cama de casal e outros dois têm camas single. Ao todo, dá 8 pessoas no andar de cima e 6 no de baixo. 

 

2.    Preços?
Nós cobramos por pessoa. O preço da casa para uma pessoa são 68€ e vamos subindo consoante há mais pessoas, mas é um valor muito baixo: cerca de 5€ a mais por pessoa. O andar de cima fica a 108€ e cá em baixo fica 88€, quando está cheio. Depois cobramos uma taxa de limpeza de 21€ por casa, independentemente do número de dias de estadia.

 

3.    Como surgiu esta ideia?
Esta era a casa dos meus pais. Foi onde eu vivi toda a vida. Entretanto, apercebi-me desta coisa do alojamento local muito cedo. Não no Bombarral. Apercebi-me em Lisboa e em Peniche, percebi que era uma dinâmica que estava a ser criada. Até tive vontade de fazer isso em Lisboa, mas nunca tive essa energia. E esta casa estava fechada… 10 anos fechada depois da morte do meu pai. Houve um dia em que entrei aqui e pensei “então mas eu estou à procura do quê em Lisboa? Tenho o que preciso aqui”. E assim começou. A casa estava cheia de coisas antigas, de uma vida inteira, daí que o primeiro processo tenha sido encaminhar todas essas coisas. Eu queria desenvolver um conceito muito minimal, portanto tinha mesmo que arranjar espaço. Depois disso, foi fazer obras. E é engraçado que mesmo antes de a casa estar pronta, eu fiz umas fotografias a preto e branco e coloquei no Booking a dizer ‘Vai abrir’ e imediatamente comecei a receber reservas.
Foi num dia de muito calor, em agosto de 2018 que chegaram os nossos primeiros hóspedes. É algo que eu gosto muito: receber pessoas, falar com elas…

 

4.    Daí também o nome que deram à casa?
Sim. A minha ideia era fazer com que as pessoas que aqui entrassem sentissem que estavam em casa. Quando comecei queria mesmo algo minimalista, do género de não existirem camas e sim um espaço tipo japonês. Mas, rapidamente percebi que teria de fazer algo mais equilibrado. Agora que já temos o site, também já conseguimos explicar melhor o conceito.


5. A decoração também acaba por transmitir esse conceito, certo?
Sim, tentei fazer uma mistura de peças modernas com outras mais antigas. Num dos apartamentos mantive a secretária que era do meu pai, as cadeiras que servem de mesas de cabeceira eram as cadeiras de casamento da minha mãe, e vão mudando de cores, ora preto, ora verde, ora branco. Há também um dos quartos que tem o telefone antigo da casa. Depois, quis dar um toque diferente através de peças mais icónicas como as cadeiras Acapulco ou a cadeira Charles Eames da década de 70. Há muita madeira, muito branco, tudo para criar um ambiente clean. 

 

6.    Há também o objetivo de criar nesta casa uma série de atividades…
Sim. Através do site já tentamos passar essa ideia: mostrar que nesta casa se pode seguir o ramo das experiências, de tudo o que as pessoas podem fazer aqui à volta desta região, muito marcada pela questão dos vinhos, do Bhuda Eden, do surf, Óbidos… Outra dinâmica que eu queria criar está relacionada com atividades de animação aqui na casa. Por exemplo, eu tenho um amigo que é especialista em taças Tibetanas e consegue num fim-de-semana motivar-nos a pensar e no meio daqueles sons todos transportar-nos para um universo completamente diferente. Tenho também vários amigos fotógrafos e da área da meditação, portanto eu queria chamar essas pessoas que fazem parte do meu universo, a fazer coisas dentro de casa e no fundo animar a casa com essas experiências.

 

7.    E qual tem sido o feedback até agora?
Tem sido uma experiência muito engraçada. Temos recebido pessoas de todo o lado. Algumas que vão para Fátima a pé, outras que estão a viajar na Europa há 3 meses, como o exemplo de um casal de canadianos que estava a passear pela Europa sem destino. Depois, temos tido aqui uma história muito engraçada, que tem a ver com a televisão, ou melhor com a ausência dela. Os apartamentos não têm televisão, e isso é de certa forma propositado. Existe uma rede Wi-Fi fantástica, o que é bom para lazer e para trabalhar, mas não temos televisão. E entretanto, temos um livro de hóspedes ali à entrada que se transformou num verdadeiro ‘chat’ à volta do tema televisão. Uns dizem que a televisão não fez falta nenhuma, que estiveram em família e jogaram às cartas, outros dizem que fez muita falta a televisão porque têm por hábito ver as notícias e sentiram-se completamente num mundo à parte.

 

8.    Podemos dizer que esta The Minimal House é um projeto de vida?
Sim. Para mim este projeto funcionou quase como um regresso às origens, uma reconciliação com o passado. Porque eu já tinha feito essa reconciliação com Peniche, mas ainda não tinha feito com este espaço. Eu via esta casa como um local com enorme carga emotiva para mim, trazia-me sempre memórias do meu pai e da minha infância com ele e não passava disso. E depois, quando eu saí do Bombarral fui estudar para Lisboa e saí daqui meio amargurado. Ter 18 anos e viver no Bombarral na década de 90 era um bocadinho aborrecido. Na altura pensei: “Eu vou-me livrar do Bombarral”. Fui estudar, fui viajar, fui viver a minha vida, tive a sorte de ter um trabalho que me permitiu abrir horizontes… até que cheguei a um ponto em que fez sentido haver esta reconciliação com o passado. De repente, voltei aqui, comecei a encontrar e a falar na rua com pessoas que já não via há muitos anos. 

 

 

If you stay at The Minimal House, there are at least 10 places you need to go:


-    Mata do Bombarral: it’s a municipal garden in a wild woods format. A fresh and green place to discover.
-    The train station: this is now a peacefull place full of history where you can admire the tile work decorating the walls.
-    Wineries: Quinta das Cerejeiras, Quinta dos Louridos, Quinta do Sanguinhal and Quinta do Gradil. They are open to the public with visits and wine tasting.
-    Walking around natural environment at Roliça/Picoto/Vale do Roto/Pó/São Mamede: The Monte do Picoto, high point marked by evocative cruise of battle of Roliça, a memory of the event in the 19th century opposed French Forces to the allied Anglo-Portuguese Army, on the first French invasion of Portugal. 
-    Sanctuary of Bom Jesus and Carvalhal: based on the legend of the Lord Jesus, the church of São Pedro do Carvalhal is quite imponent. A place of ownership and Sunday picnics.
-    Óbidos: the finest example of a Portuguese walled town, and is one of the best tourist destinations of the Lisbon region. There are narrow-cobbled streets, traditional painted houses, and an imposing medieval castle.
-    Peniche: Go surfing the west coast waves at Peniche or Baleal. If you are a beginner pick a surf school. Your life will never be the same.
-    Berlengas Island: Go diving at Berlengas. Ticketing and boarding in the fishing port of Peniche.
-    Buddha Park Eden: taste a bit of Asia at the Buddha Park Eden. Asian peace garden with sculptures, lakes, pagodas, giant Buddha & terracotta soldiers.
-    Dino Park: this is the perfect place to travel in time. In fact, a journey of about 400 million years, through different periods of Earth’s history. In these tracks can be observed more than 120 models of real size dinosaurs, constructed in close cooperation with scientists all over the world. This is in Lourinhã (Rua Vale dos Dinossauros, 25, Abelheira)

Se ficar na The Minimal House, há pelo menos 10 lugares que devia visitar:


- Mata do Bombarral: é um jardim municipal em formato de mata selvagem. Um lugar fresco e verde para descobrir.
- A estação de comboio: agora é um lugar tranquilo e cheio de história, onde se pode admirar o trabalho de azulejos que decoram as paredes.
- Vinhas: Quinta das Cerejeiras, Quinta dos Louridos, Quinta do Sanguinhal e Quinta do Gradil. Elas são abertas ao público com visitas e degustação de vinhos.
- Caminhadas pelo ambiente natural da Roliça / Picoto / Vale do Roto / Pó / São Mamede: O Monte do Picoto, ponto alto marcado pela batalha da Roliça, uma lembrança do evento do século XIX que opôs as forças francesas ao aliado Exército Anglo-Português, na primeira invasão francesa de Portugal.
- Santuário de Bom Jesus e Carvalhal: com base na lenda de Jesus, a igreja de São Pedro do Carvalhal é bastante imponente. Um lugar de piqueniques aos domingos.
- Óbidos: o melhor exemplo de uma cidade portuguesa rodeada por uma muralha e é um dos melhores destinos turísticos da região de Lisboa. Tem ruas estreitas, casas pintadas de forma pitoresca e um imponente castelo medieval.
- Peniche: faça surf nas ondas da costa oeste em Peniche ou no Baleal. Se for iniciante, escolha uma escola de surf. A sua vida nunca mais será igual.
- Ilha das Berlengas: Mergulhe nas Berlengas. A compra de bilhetes e a zona de embarque fica no porto de pesca de Peniche.
- Buddha Park Eden: experiencie a Ásia através do Buddha Park Eden. Um jardim repleto de paz, com esculturas, lagos, pagodes japoneses, um Buda gigante e soldados de terracota.
- Dino Park: este é o lugar perfeito para viajar no tempo. Trata-se de uma viagem de cerca de 400 milhões de anos, por diferentes períodos da história da Terra. Ao longo da caminhada podem ser observados mais de 120 modelos de dinossauros de tamanho real, construídos em estreita cooperação com cientistas de todo o mundo. Fica na Lourinhã (Rua Vale dos Dinossauros, 25, Abelheira)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

Meghan and Harry are coming back to the UK (just for a while)

February 12, 2020

The Minimal House: the place where relax is an order

February 10, 2020

1/15
Please reload