For professional inquires or general questions or comments, please contact: mylilobridge@gmail.com

 

Contact Me

Why you should visit London's Royal Opera House?

May 8, 2019

London's Royal Opera House is one of the prettiest venues I've ever seen. It is the  home of two world famous companies: the Royal Opera and The Royal Ballet. 

 

And the fact that it's so close to Covent Garden turned this market a synonim for British opera. It is usual to see performers singing across the streets.

 

Originally built in 1858, the current Royal Opera House is the third incarnation of this high culture hub, and legends including Maria Callas, Luciano Pavarotti and Rudolf Nureyev have graced its stage.

 

It has just had a three-year makeover and now everyone's invited to check out the results and this invitation is forever. This is now the new place for Londoners and visitors to drop in, grab a coffee or a bite to eat at the new café and restaurant, or catch a whole range of free and cheap daytime events, including singing and dance workshops, family fun, open rehearsals and lunchtime performances. 

 

Oh, and it has free wi-fi. If you’ve ever found yourself desperately looking for an oasis in the West End, this can be the perfect one. And, of course, when the weather is grey, or if it's cold outside, do as I did.

 

Get in and explore! Believe me, it is worthy! And it's not everyday that you have the chance to contemplate the interiors of a place like this, not having to pay for it.

 

Inside, in the upper floor, you will also find a Swan Lake exhibition, with photos and the real dresses and accessories.

A Royal Opera House de Londres é um dos locais mais bonitos que já vi. É o lar de duas empresas mundialmente famosas: a Royal Opera e o Royal Ballet.

 

E o facto de estar tão perto de Covent Garden tornou este mercado sinónimo da ópera britânica. É comum ver artistas a cantar pelas ruas.

Originalmente construída em 1858, a atual Royal Opera House é a terceira encarnação deste centro de alta cultura, e lendas como Maria Callas, Luciano Pavarotti e Rudolf Nureyev foram agraciados aqui.

 

O espaço acabou de sofrer uma reforma de três anos e agora todos estão convidados a ir ver os resultados e este convite é para sempre. Este é agora o novo local para os londrinos e visitantes, tomarem um café ou algo para comer no novo café e restaurante, ou assistir a toda uma série de eventos diurnos gratuitos e baratos, incluindo workshops de canto e dança, diversão em família, ensaios abertos e apresentações na hora do almoço.

 

Ah, e tem wi-fi gratuito. Se você já se encontrou desesperado à procura de um oásis no West End, este pode ser o sítio perfeito. E, claro, quando o tempo estiver cinzento, ou se estiver frio lá fora, faça como eu fiz.

 

Entre e explore! Acredite, vale a pena! E não é todos os dias que se tem a oportunidade de contemplar o interior de um lugar como este, sem ter que pagar por isso.

 

No interior, no andar superior, também encontrará uma exposição do Lago dos Cisnes, com fotos e os reais vestidos e acessórios.

A 17 de maio de 2018, uma nova produção do Lado dos Cisnes estreou aqui para aclamação da crítica, dando uma nova vida à obra-prima do século XIX.
John Macfarlane desenhou todos os 65 figurinos. Cerca de 400 trajes foram feitos pelo departamento de figurinos aqui em Covent Garden e em Thurrock, incluindo este tutu e touca de Odette. Cada tutu leva cerca de 160 horas para costurar e requer 100 metros de rede.

Swan Lake’s Odile
The tragic love story of Swan Lake is set to some of the most distinctive and influential music in the ballet repertoire.
This tutu was designed by Leslie Hurry and made for Margot Fonteyn, one of the Royal Ballet’s star ballerinas, in the late 50s. She confessed to having always found Swan Lake a difficult ballet that both frightened her and gave her great satisfaction.

Odile do Lago dos Cisnes
A trágica história de amor do Lago dos Cisnes é definida como uma das músicas mais distintas e influentes no repertório de ballet.
Este tutu foi desenhado por Leslie Hurry e feito para Margot Fonteyn, uma das bailarinas da Royal Ballet, no final dos anos 50. Ela confessou ter sempre olhado para o Lago dos Cisnes como um balé difícil que tanto a assustava quanto lhe dava grande satisfação.

And what about this view above Covent Garden?!... | E esta vista por cima de Covent Garden?!...

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

'Home for You': Interior Design from Porto to the world

November 14, 2019

Meet the 'new' royals of The Crown

November 14, 2019

1/15
Please reload